Retossigmoidoscopia

O que é e para que serve a retossigmoidoscopia?

O exame de retossigmoidoscopia é utilizado para o diagnóstico das doenças que acometem a porção final do intestino grosso. Com a retossigmoidoscopia é possível diagnosticar doenças que acometem os 30 cm finais do tubo digestivo, avaliar a mucosa do reto e sigmoide, verificar a presença de câncer retal, pólipos intestinais, divertículos em sigmoide, colites, diagnosticar amebíase através de biópsia de reto. 

O exame pode ser realizado com retossigmoidoscópio rígido (figura 1) ou flexível, a diferença entre os dois exames consiste no aparelho que é utilizado, o retossigmoidoscópio flexível (figura2) é um aparelho mais sofisticado que o rígido e permite a realização de fotos durante o exame, além de causar menor desconforto durante a realização do mesmo .

Retossigmoidoscópio rígido

FIGURA 1

Retossigmoidoscópio flexível 

FIGURA 2

O exame é realizado a nível ambulatorial, não sendo necessária internação.

Como é feito o exame de retossigmoidoscopia?

O exame consiste na introdução pelo ânus de um aparelho (retossigmoidoscópio rígido ou flexível) que permite a visualização dos segmentos intestinais, reto e colón sigmóide.

O paciente é posicionado em decúbito lateral (figura 3) 

Decúbito lateral 

FIGURA 3

O médico realiza um toque retal, com dedo lubrificado por xilocaína gel, que é um anestésico local. O intuito do toque retal é avaliar a elasticidade do ânus, identificar massas palpáveis, realizar o relaxamento dos esfíncteres anais para que o exame seja o menos desconfortável possível.

Após o toque retal é introduzido o retossigmoidoscópio flexível que tem o diâmetro de um dedo, aproximadamente.

Após a introdução do retossigmoidoscópio o médico vai progredindo o aparelho que está acoplado a um sistema de câmera que permite a visualização dos segmentos intestinais, até 30 cm da borda anal (Figura 4).

Retossigmoidoscopia

FIGURA 4

 Durante este trajeto são realizadas fotos  (Figura 5) dos segmentos principais e de lesões quando estiverem presentes, o médico pode realizar biópsias de  tecidos que julgar necessário. 

Pólipos

FIGURA 5

Foto de segmento de reto com presença de pólipos

As biópsias (Figura 6) são indolores e o paciente pode apresentar um discreto sangramento vermelho-vivo às evacuações logo após o exame.

Retossigmoidoscopia 

FIGURA 6

O exame é extremamente rápido, dura em torno de 5 minutos e o desconforto é mínimo, com sensação de cólica de gases por alguns segundos. 

Não é necessário jejum para a realização do procedimento, porém o reto deve estar limpo para que a visualização não fique prejudicada. Portanto é necessária uma lavagem intestinal (Figura 7), realizada pelo próprio paciente, em sua residência, antes do exame.

Lavagem intestinal 

FIGURA 7

Após o exame os pacientes podem retornar às atividades normais de trabalho, não sendo necessário afastamento do mesmo, para realizar o procedimento.

Quais complicações podem ocorrer após a retossigmoidoscopia?

As complicações são extremamente raras, quando o exame é realizado por equipe treinada e médico experiente.

Pode ocorrer sangramento de pequeno volume, hemorragias são raras e estão associadas à remoção de pólipos volumosos.

Infecções também são extremamente raras, pois o aparelho de retossigmoidoscopia passa por processo criterioso de desinfecção.

Perfurações intestinais também são raras.


Clique aqui e veja como deve ser feita a preparação deste exame

Convênios

  • Allianz
  • Ameplan
  • Amil
  • Apeoesp
  • Bradesco Saúde
  • Care Plus
  • Cassi
  • Cetesb
  • Classes Laboriosas
  • Dix
  • Economus
  • Fundação CESP
  • Gama Saúde
  • Hapvida
  • Intermedica
  • Itau
  • Life Empresarial
  • Life System
  • Marítima Saúde
  • Medial
  • MedService
  • Metrus
  • Notredame
  • Omint Saúde
  • Ônix
  • Portomed
  • Porto Seguro
  • Sabesprev
  • Santamalia
  • Saúde Secular
  • SP Trans
  • Sul America Saúde
  • Unafisco
  • Unibanco
  • Unimed